Blog

Concurso Cultural "O Pequeno Príncipe"

Publicado em 28 de Aug de 2015 por Aline Barreto | Comente!

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que..."

concurso"O Pequeno Príncipe" é um clássico literário, lançado originalmente em 1943 pelo autor Antoine de Saint- Exupéry, conquistou gerações mostrando uma visão simplificada da  vida. 

Até hoje, "O Pequeno Príncipe" é um dos livros mais lidos do mundo, sendo referência poética e filosófica, mostrando que há muita sabedoria pelos olhos de uma criança. 

Nesse mês, a Universo dos livros lançou "O Pequeno Príncipe" com as ilustrações originais e a Paris Filmes estreiou o filme em todo território nacional.

Em comemoração estamos fazendo o concurso cultural " O Pequeno Príncipe" no nosso Facebook. Para participar, você precisa seguir nosso perfil e completar a frase "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que...". Seja criativo e não vale copiar a frase original!

COMENTE! 

Eu Sobrevivi ao Holocausto

Publicado em 28 de Aug de 2015 por Aline Barreto | Comente!

Entrevista da autora Nanette Blitz Konig para a revista Exame.

Livro

Autora Nanette Blitz Konig

 

 

A autora do livro "Eu sobrevivi ao Holocausto", Nanette Blitz Konig foi entrevistada pela revista Exame e contou um pouco da sua história. Última amiga viva da Anne Frank, falou como foi o seu reencontro com ela no campo de concentração.

Clique aqui para ler a matéria na íntegra.

 

 

 

COMENTE! 

É fã da Dulce Maria?

Publicado em 16 de Apr de 2015 por Redação | Comente!

Tarde de autógrafos do livro Dulce Amargo; autora de um dos livros mais vendidos da lista da VEJA!

Banner Dulce Amargo

Banner de Divulgação


Então essa é a sua chance de conhecer a cantora!

 Confira as normas de participação do evento: 

O número de participantes é limitado, então fiquem atentos às regras de participação:

• As 150 primeiras pessoas que adquirirem o livro Dulce Amargo da Universo dos Livros na FNAC Pinheiros no domingo (19 de abril) poderão passar pela área VIP para ter seu exemplar autografado a partir das 17h pela Dulce María.

• Serão distribuídas senhas para a sessão de autógrafos no caixa da FNAC Pinheiros no ato da compra a partir das 15h (Duas horas antes do início do evento).

• Será distribuída apenas uma senha por pessoa.

• Apenas serão permitidas fotos com os fotógrafos oficiais do evento. Após a tarde de autógrafos, essas fotos serão postadas em nossas redes sociais. 

Qualquer dúvida estamos à disposição: relacionamento@universodoslivros.com.br

Esperamos por vocês!

COMENTE! 

LANÇAMENTOS DE ABRIL

Publicado em 25 de Mar de 2015 por Redação | Comente!

Confira dois dos lançamentos do mês de Abril

Capa da Edição Nacional 


SINOPSE

O "não escrito" capítulo final do Diário de Anne Frank relata o tempo entre a prisão de Anne Frank e sua morte. A história é contada por meio dos testemunhos de seis mulheres judias que sobreviveram ao inferno do campo de concentração do qual Anne nunca mais voltou.

Inicialmente, o renomado cineasta holandês Willy Lindwer filmou o documentário "Os sete últimos meses de Anne Frank" e, depois disso, resolveu transformá-lo em livro. Para tanto, ele entrevistou mulheres que conheceram Anne Frank.

O livro é composto pelos depoimentos de seis dessas mulheres - algumas que a conheceram antes de sua deportação para o campo nazista, e todas elas durante os últimos momentos em Bergen-Belsen.

As histórias que estas mulheres têm para contar são semelhantes: o tratamento no campo, a forma como conheceram as irmãs Frank e a maneira como todas foram inexplicavelmente tocadas por sua vida. O fato de terem sobrevivido ao campo de extermínio é um milagre em si mesmo. Uma das sobreviventes, inclusive, teve a difícil missão de confirmar a Otto Frank as mortes de suas filhas, Anne e Margot.

Os sete últimos meses de Anne Frank é o triste e verdadeiro relato de uma crueldade inimaginável e do milagre ocorrido para os que sobreviveram poderem contá-lo com suas próprias palavras. 

DADOS DA PUBLICAÇÃO

Título: Os Sete Últimos Meses de Anne Frank

Título original: The Last Seven Months of Anne Frank

Autor: Willy Lindwer

Tradução: Mauricio Tamboni


Capa da Edição Nacional 

 

 


SINOPSE

Esta é uma história sobre sacrifícios, liberdade e amor...

Haven Antonelli e Carmine DeMarco cresceram em mundos completamente diferentes. Haven é uma adolescente de 17 anos que nunca conheceu a liberdade. Desde a infância, ela e sua mãe são escravas, vítimas de uma rede de tráfico humano. Carmine, nascido em uma família rica da máfia, viveu uma vida de privilégios e excessos.

Agora, uma reviravolta do destino faz que seus caminhos se cruzem. Apesar das diferenças aparentes, algo mais sutil os une. E da tênue amizade entre os dois floresce uma paixão inesperada e arrebatadora.

Enredados numa teia de segredos e mentiras, em que o poder e o dinheiro ditam o jogo, o jovem casal logo percebe que é preciso se sacrificar para conquistar a liberdade e o direito ao amor...


DADOS DA PUBLICAÇÃO

Título: Sempre

Título original: Sempre

Autor: J.M.Darhower

Tradução: SallyTilelli

 

 

COMENTE! 

Julgando o livro pela capa?!

Publicado em 25 de Mar de 2015 por Redação | Comente!

O peso da primeira impressão.

Banner


A expressão “Não julgue o livro pela capa” é comum a maioria dos brasileiros – acredito que não só brasileiros, rs.  É um modo metafórico de dizer “não julgue pela aparência” ou “a primeira impressão pode ser equivocada”. Algumas pessoas realmente não levam o peso das primeiras impressões em consideração, mas ao contrário do que muitos pensam, elas podem ser um fator decisivo na vinculação e manutenção das relações sociais e empresariais.

No livro “Como convencer alguém em 90 segundos” o autor Nicholas Boothman explica que os primeiros noventa segundos de qualquer encontro, não servem apenas para definir as primeiras impressões das partes, mas, determinam a ativação do instinto de sobrevivência inconsciente. A reação causada pela ativação do instinto de sobrevivência acarretará em três possíveis ações: fugir, combater ou interagir. Após atravessar esses obstáculos o ser humano decidirá se a relação será estabelecida ou não. 

No decorrer da leitura, o autor cita alguns exercícios que se postos em prática, favorecem a construção de uma primeira impressão positiva. Um exemplo é a KFC, que se resume em uma fórmula de comunicação de sucesso.

K: Know what you want/Saiba o que você quer.

F: Find out what you’re getting/Observe o resultado obtido.

C: Change what you do until you get what you want/ Mude até você atingir o resultado desejado.

Que se resume em definir o objetivo em termos positivos antecipadamente, assim, o tempo restante poderá ser usado para observar o impacto das primeiras atitudes, avaliar os resultados obtidos e mudar de estratégia caso a primeira se mostre ineficaz.

Gostou? Confira um dos exercícios que apresentados no livro.


Você sabe o que quer?

Aqui está algo que você pode tentar no trabalho. Perceba três pequenas coisas que você não gosta ou não quer que aconteça no ambiente de trabalho. Por exemplo: Eu não quero ouvir outras pessoas ao telefone porque me distrai. Eu não consigo suportar quando não chego a um consenso nas reuniões de marketing. Eu não gosto quando os clientes são impacientes. Agora, pegue seu problema – a negativa – e pense nele como um desejo positivo: Eu quero um lugar quieto para trabalhar onde possa me concentrar. Eu quero aprender mais sobre o que motiva meus colegas. Eu quero inspirar calma em outras pessoas.

Uma vez que você sabe o que quer, seja criativo e flexível e tente possíveis soluções. Se ouvir outras pessoas ao telefone é uma distração, compre um fone de ouvido. Se isso não funcionar, identifique quem o distrai mais e tente negociar um reposicionamento. Se isso não funcionar, diga ao seu chefe que você será mais produtivo em um ambiente silencioso e veja o que ele pode fazer. Pegue todo o feedback que você conseguir e, com base nisso, mude o que faz até conseguir o que deseja.

 

Texto: Julia Abreu

COMENTE! 

8 Dicas preciosas para o seu filho gostar de ler

Publicado em 12 de Feb de 2015 por Redação | Comente!

Crianças que gostem de ler por lazer, tornam-se pessoas mais seguras e, consequentemente, com uma maior capacidade de compreensão e ação no mundo.

Blog

 

Estimular em nossos filhos o prazer de ler deveria acontecer em tempo integral, porque os estímulos físicos, intelectuais, afetivos, motivacionais e da vontade são interdependentes no desenvolvimento e aprendizado.

Um ambiente afetivo negativo prejudica o desenvolvimento de sinapses e o neurológico, assim como uma saturação precoce pode bloquear emocionalmente e ocasionar “engarrafamentos” e danos cerebrais.

O desenvolvimento cerebral é um processo heterocrônico: distintas regiões amadurecem em distintos tempos de trás para frente, ou seja, do lobo occipital para o frontal, o que deve ser levado em conta ao se ensinar (períodos sensitivos).

Quando um estímulo chega ao cérebro se desencadeia um processo que, para ser significativo, deve se encaixar em outro conhecimento anterior.

Aprender é adaptar-se a novas situações e educar o gosto é o mais importante para a vida acadêmica da criança, porque não existe conhecimento e aprendizado obrigatórios.

As crianças devem querer aprender a ler, porque suas redes neurais só desenvolvem conexões diversas segundo a sua própria decisão pessoal.

Elas precisam de “ganchos emocionais” para se relacionarem.

Somos uma unidade de corpo e alma e, nesse sentido, é fundamental levar em conta esses dois aspectos da natureza humana na educação dos filhos.

Para tanto, os pais devem proporcionar uma combinação de estímulos neurológicos variados com um ambiente carregado de afeto e amizade e emocionalmente estável. A educação da inteligência anda de mãos dadas com a educação da afetividade e da vontade.

Digo tudo isso para ressaltar  a necessidade de os pais ajudarem seus filhos a desenvolverem um sentimento positivo em relação à leitura.

Crianças que gostem de ler por lazer, tornam-se pessoas mais seguras e, consequentemente, com uma maior capacidade de compreensão e ação no mundo.

8 Dicas para os pais :

1)  pegar o filho no colo;

2) ler com entusiasmo e no ritmo normal;

3)  fazer comentários;

4) dramatizar os diálogos;

5) fazer perguntas interessantes, mas sem testar o filho;

6) encorajar o filho a ler, mas nunca forçá-lo a ler;

7)  respeitar suas preferências;

8) Fazer da leitura um momento de alegria.

 

Fonte: Júlia Manglano/ Blog Estadão

COMENTE! 

Autor Tony Ferraz e livro O Artífice no Programa do Jô na Rede Globo

Publicado em 30 de Sep de 2014 por Redação | Comente!

Tony Ferraz lança livro sobre assassinatos em Londres: 'Escrevi aos 16 anos'

Jo

Tony Ferraz participa da gravação do 'Programa do Jô' (Foto: TV Globo/Programa do Jô)

Sabe aquele tipo de pessoa inquieta, que já fez um milhão de coisas na vida? Tony Ferraz é uma dessas pessoas. O lutador de jiu-jítsu já trabalhou como executivo de marketing, foi mágico, pintou quadros e, atualmente, está lançando o livro "O artífice". "Escrevi esse livro quando tinha 16 anos", comenta.

Segundo Tony, a sua publicação conta a história de uma série de assassinatos que acontecem em Londres. "O assassino mata através de armadilhas bem elaboradas e deixa pistas esotéricas para tentar confundir o detetive, que é obrigado a procurar um monge budista para tentar decifrar essas pistas".

CLIQUE AQUI e assista a entrevista completa! 

COMENTE! 

7 Dicas de sobrevivência para namorar um leitor(a)

Publicado em 29 de Sep de 2014 por Redação | Comente!

Pretende ou já namora um leitor(a)? Dicas são bem-vindas para manter tudo na paz com o seu amor. Olha!

Blog

 

Já diria Camões que: “Amor é um fogo que arde sem se ver;/ É ferida que dói, e não se sente;/ É um contentamento descontente;/ É dor que desatina sem doer”. Portanto, nada melhor do que dar dicas às pessoas de como conviver com este sujeito complicado, o leitor. Ao se permitir namorar com alguém assim, precisa-se ter em mente que é preciso se adaptar a muitas coisas.

Então aí vai uma lista de dicas, que pode ser levada a sério ou não, de como sobreviver a um namoro com um leitor:

1. Não interrompa quando ele estiver lendo! Nunca! Em hipótese alguma, faça isso. Se morrer alguém da família, interrompê-lo não fará com que a pessoa ressuscite, lembre-se disso;

2. Se ele disser que o livro é melhor que o filme, concorde com ele. Mesmo que não seja, você acha que ele vai admitir? Em hipótese alguma. Esta confissão seria uma traição ao movimento. A devoção dele a um livro é pior do que uma religião, entenda isso. Então não, o filme não é melhor;

3. Não tenha ciúme dos livros, eles não são seus concorrentes. Portanto, quando ele disser que em primeiro lugar da vida dele estão os livros, aceite. Você será o segundo, nada tão mal assim. Não há ninguém humano à sua frente;

4. Na hora certa, ele terá a palavra certa. Claro que isso é uma faca de dois gumes, pois este seu namorado leitor poderá tanto evocar palavras de amor, como o protagonista de Memórias de Minhas Putas Tristes, quanto pode saber enviar você para Cem Anos de Solidão;

5. Ele se importa mais com a forma que você trata os livros dele, do que exatamente como o trata. Então já sabe, nada de rasuras, dobrar capa, molhar folha, ou, pior, emprestar o livro dele para alguém – o que equivale ao fim do relacionamento;

6. Quando vocês brigarem, dê um livro de presente a ele. Não será mais preciso palavra alguma (até porque você já está dando um monte delas dentro do livro), ele tomará a obra na mão, derramará uma lágrima e perdoará você – principalmente se for um livro raro. E, claro, essa dica não vale caso seja um livro que ele odeie;

7. Nunca fale mal do escritor preferido dele. Jamais. Algumas pessoas têm gurus, líderes espirituais, artistas preferidos. Leitores têm escritores, postos sobre um patamar intocável. Portanto para sua saúde física e mental, não fale mal desses escritores. Digo e repito.

E aí, mais alguma dica? 

 

FONTE: Vilto Reis – Homo Literatus em 11 de junho de 2014 

COMENTE! 

Criatividade: 3 formas inusitadas de usar o livro para ir além da imaginação

Publicado em 29 de Sep de 2014 por Redação | Comente!

.

O seu passa tempo preferido pode ser a leitura. Talvez sonhe em escrever um livro. Tem o hábito de ler e doar o livro, passando-o adiante. Ou gosta de ver a estante cada vez mais cheia, colecionando histórias.

Além disso, você pode até saber o poder que os livros têm em transformar a imaginação, estimular a criatividade e nos permitir viajar sem sair do lugar. Mas, será que já pensou até onde os livros realmente podem nos levar?

Imagina livros transformados em joias, estantes e até em obras de arte?

O designer de joias britânico Jeremy May produz anéis, colares, brincos e braceletes usando livros. Cada joia vem em seu próprio “porta-joias” de onde a matéria-prima foi extraída.

Blog

 

 

Blog

 

 

Post

 

 

Já o artista Jim Rosenau usa livros antigos para criar estantes. É como guardar livros no próprio livro.

Blog

 

 

Blog

 

 

Blog

 

 

E o mais inimaginável de todos são as obras de arte criadas por Mike Stikey, um artista dos Estados Unidos que utiliza livros para criar uma combinação de pintura e escultura.

Blog

 

 

Blog

 

 

Blog

 

 

Incrível, não é mesmo? 

Para ver mais criações dos artistas a partir dos livros acesse: http://bit.ly/1zGkfoh

 

TEXTO: Samanta Camargo
FONTE: Ebooks Grátis 

 

 

 

 

COMENTE! 

MAIS VENDIDOS